É, Muriçoca

24/06/2009

Parecia reprise. O São Paulo fecha um primeiro semestre horrível com a eliminação na Copa Libertadores da América. Assim foi em 2006, 2007 e 2008. Mas em 2009 o fim foi diferente. Acabou com a demissão de Muricy Ramalho do comando tricolor.

O mesmo Muricy campeão brasileiro nos mesmos anos de 2006, 2007 e 2008.

Mas por que ele foi demitido?

Preferimos acreditar que a diretoria tricolor não teve a empáfia de demiti-lo só porque não conquistou a libertadores.

Evidentemente algo de errado acontecia no São Paulo. O grupo, e o próprio Muricy pareciam abalados. As cativas do morumbi aclamavam por sua queda. E JJ não aguentou, demitiu seu treinador no meio da temporada, como qualquer outro clube brasileiro faz após uma sequência de maus resultados. Justo o São Paulo, que alega ser o Bacelona, o Liverpool brasileiro.

Talvez a melhor opção seria continuar com muriçoca até dezembro e, ai então, demiti-lo, podendo até acabar o ano com o teracampeonato brasileiro.

Agora a incógnita Ricardo Gomes assume em seu lugar, e, apesar da aparência de tampão, pode decidir a vida do São Paulo no ano vindouro. Entenda-se, sua ida à libertadores 2010.

E os gritos de “é, Muricy” ainda ecoam nas arquibancadas.

Felipe Blumen

Rumor has it…

24/06/2009

Tivemos mais que uma semana sem posts; um dos blogueiros não dava notícias há 10 dias, outro foi tomado pela preguiça e o terceiro ficou esperando por eles… Mas estamos de volta.

Ao longo do ano pretendemos dar grande destaque ao futebol internacional. Consideramos que os três campeonatos mais importantes da Europa merecem uma atenção única; ficou decidido então que o Caio falará sobre futebol espanhol, o Felipe sobre futebol italiano e eu sobre futebol inglês. Como as respectivas ligas acabaram há pouco tempo, não resta assunto a não ser as contratações que movem o mercado do futebol nessa época do ano.

Na ilha britânica os negócios andam a passos lentos (é a crise), porém, como é típico dos jornais britânicos, todo dia nos deparamos com inúmeras especulações sobre transferências. Vamos então fazer um apanhado geral do que está acontecendo na Inglaterra.

O Arsenal trouxe Thomas Vermaelen, 23 anos, zagueiro que estava no Ajax; parece que Arsene Wenger vai, como sempre, fazer contratações cirúrgicas e apenas de jovens jogadores. As boas notícias ficam por conta da renovação de contrato de Robin Van Persie e da muito provável permanência de Cesc Fábregas. Continuando em Londres, o Chelsea também não se mexeu muito até agora, de relevante mesmo apenas a contratação do novo técnico Carlo Ancelotti. Daniel Sturridge, 19 anos, atacante do Manchester City está próximo de assinar; Deco e Ricardo Carvalho interessam a Inter de Milão e podem sair. Em Liverpool, as dificuldades financeiras vividas pelo clube não impediram a contratação do lateral-direito Glen Johnson, 24 anos, que veio do Portsmouth e tem se destacado pela seleção inglesa; Mascherano pode estar trocando a terra dos Beatles pela terra de Salvador Dalí, o volante estaria insatisfeito com seu salário e desperta interesse do Barcelona. O Manchester United parece estar acomodado com suas recentes conqusitas e até agora não esboçou reação em relação às saídas de Cristiano Ronaldo e Tevez; existem apenas boatos que ligam o ponta equatoriano Antonio Valencia e o meia-atacante Douglas Costa, do Grêmio, aos diabos vermelhos. Até agora o time mais ativo da temporada é o Manchester City que contratou Garreth Barry, 28 anos, meio-campista que era do Aston Villa e Roque Santa Cruz, atacante de 27 anos que estava no Blackburn; o time de Robinho promete ir atrás de mais reforços para esta temporada. O Hull City anunciou hoje interesse em Michael Owen, atacante que se desligou do Newcastle após o rebaixamento da equipe na temporada passada; será que esse ano as lesões permitirão que ele tenha uma sequencia de jogos?

A Premier League começa no dia 15 de agosto; destaque para o jogo entre Liverpool e Tottenham. Para saber mais, vale a pena visitar o site de esportes da BBC do Reino Unido (ver links).

Rodrigo Giordano

Ser lúdico ajuda

13/06/2009

Concordo plenamente com o que escreveu o amigo Caio aqui embaixo. No entanto, acho necessário uma reflexão maior sobre o fanatismo futebolístico e sua relação aparentemente intrínseca com o irracional. Tomar isso como verdade absoluta tem levado a certas transgressões.

Na minha opinião, fanático (lembre-se que estamos no terreno do futebol apenas) é aquele que conhece a história de seu time, que vai ao estádio, que sabe a escalação, que acompanha todos os jogos, campeonatos e tudo mais que ao nome do time estiver relacionado, e mais importante, aquele que mesmo sabendo da inferioridade de seu time em relação ao outro (o que, convenhamos, exige uma certa dose de racionalidade e reflexão) acredita que a vitória pode acontecer.

O fanatismo futebolístico permite sim, a discussão saudável. Peguemos esse blog como prova empírica: é escrito por três jovens torcedores, cada um torce para um time diferente, sendo que estes são rivais entre si; todos se consideram fanáticos e na maioria das vezes chegamos em consenso. Isso acontece porque achar o Dentinho melhor que o Cristiano Ronaldo não é fanatismo, é burrice; discutir se o Flamengo tem mais tradição que o Grêmio é sem fundamento; não concordar que seu próprio time só venceu em razão de ajuda erro da arbitragem é não querer enxergar a verdade. Portanto, os torcedores comuns que aderem a certas irracionalidades como as citadas acima se aproximam de uma linha tênue que os separa dos vândalos de torcidas organizadas, que nada mais fizeram a não ser instituir um amedrontamento ao jogo de futebol e afastar as famílias dos estádios. Estes, por alguma razão (ajuda de dirigentes?), acharam ter a prerrogativa de se considerarem mais torcedores do que os comuns, e tomaram, erroneamente, a alcunha de verdadeiros fanáticos. Vemos, e muito mais que isso, sentimos o resultado de tal processo.

O grande problema é que o fanatismo por um time vem cada vez mais se separando do fanatismo pelo futebol. Já ouvi muitos relatos de pessoas mais velhas dizendo que iam assistir a jogos de times que não eram os seus simplesmente pelo prazer de assistir a uma partida de futebol; isso está se esvaindo. E para mim a razão disso é o argumento apresentado acima: as pessoas gostam cada vez mais apenas do seu clube do que do futebol por si só. Claro que certas discussões não chegam a lugar nenhum, mas para quem gosta de futebol, opiniões que são apenas opiniões não interessam, necessita-se do argumento, que gera o contra-argumento e mesmo assim, muitas vezes consensos não são atingidos; algumas vezes o resultado é frutífero, como este blog.

Rodrigo Giordano

É engraçado observar o poder de transformação que o futebol exerce no comportamento dos fanáticos.

Quando se trata de futebol até a mais sisuda das pessoas perde a compostura e parece esquecer os padrões de civilidade que tanto faz questão de manter em outras ocasiões. Os mais tímidos também tem seu comportamento alterado quando se trata de ludopédio : soltam em alto e bom tom os gritos contidos , sentindo-se protegidos e camuflados em meio à multidão. Os agressivos também aproveitam o momento e praticam suas perversidades ,ocultados em meio a um mar de camisas semelhantes.

Defendemos com tamanho vigor os times para o qual torcemos porque isso acaba-nos sendo uma característica marcante , e de certo modo nos caracteriza diante da sociedade como se fôssemos um reflexo dos estereótipos atribuídos aos nossos times.  Em muitos casos torcer para um time é como ser guardião de uma herança familiar imensurável.

O futebol exerce uma influência tão grande que atrai até mesmo os mais racionais e intelectuais , embora seja , na perspectiva do torcedor , uma atividade indubitavelmente irracional. Para o torcedor fanático o futebol transcende a atribuição de entretenimento . É religião para os céticos , forma um certo tipo sincretismo religioso para os crentes.  Torcemos , sofremos , gastamos milhares , alguns até enfartam , por algo que não traz qualquer benefício prático à nossa vida.

Sem dúvida o grande mérito do futebol está naquilo que o cerca . Futebol não é só 90 minutos , 22 jogadores e 2 balizas e bilhões de dólares.  Futebol não pode ser explicado em números , pois ele não é só um esporte , não é exato , não fica restrito às suas regras. É sobretudo a história de pessoas , anônimos ou ilustres.

O fanatismo pelo futebol pode ser explicado justamente pelo fato de ser irracional . São assim as melhores coisas da vida : a amizade , o amor e um grito de filho da puta na arquibancada.

Caio Hornstein

south_africa_2010_world_cupA Copa do Mundo da África do Sul de 2010 começa a tomar forma. Pelo menos quanto aos seus participantes. As eliminatórias pelo mundo chegam à reta final.

Na Ásia três países já se classificaram: Japão, Coréia do Sul e Austrália (que fica na Oceania, mas disputa as eliminatórias asiáticas). Disputam a última vaga Coréia do Norte e Irã, o eixo do mal do futebol mundial.

Entre os africanos, Camarões corre o risco de não fazer companhia ao país sede, já que encontra-se na gloriosa última posição de seu grupo, atrás das potências Gabão, Togo e Marrocos.

A Oceania preencherá sua vaga na repescagem (contra um asiático) com, surpresa, a Nova Zelândia.

A CONCACAF tem como destaque o México que, no momento, iria para a repescagem (contra o quinto colocado da América do Sul).

A Holanda é o primeiro país europeu a conquistar sua vaga.  Alemanha, Itália e Espanha não encontram dificuldades e devem tomar o mesmo rumo. Mas as atenções voltam-se para o grupo 1, no qual Dinamarca e Hungria lideram, deixando para trás Portugal e Suécia. Ou seja, provavelmente teremos um mundial sem Cristiano Ronaldo e Ibrahimovic, dois dos melhores jogadores do mundo na atualidade.

Aqui no Novo Mundo, nada de surpresas. Brasil, Chile e Paraguai certamente se classificarão. Os hermanos correm perigo, mas só dependem de si mesmos. A briga boa será para o quinto lugar, disputado acirradamente por Uruguai, Equador, Colômbia e Venezuela, separados por apenas três pontos. Essa disputa leva para a repescagem contra o quarto colocado da CONCACAF (quem sabe o México?). Tarefa muito mais árdua essa do que a antiga disputa contra algum timeco da Oceania.

Contudo, a primeira Copa do Mundo do continente africano permanece uma incógnita. Seja quanto ao futebol que será apresentado, seja quanto a sua infra-estrutura. Essa provavelmente não será a mesma de 2006. E o futebol, apesar de sem Ronaldo, Ibra, Eto’o e (já pensou?) Messi, esperamos que não seja o mesmo apresentado na Alemanha três anos atrás.

Para quem quiser ficar informado sobre classificações, tabelas e regulamentos das eliminatórias mundo afora:  http://www.arquivodosmundiais.com/el2010.htm.

Felipe Blumen

Na beira do caos

09/06/2009

O Botafogo amarga a 18ª posição no Campeonato Brasileiro de 2009 e muito tem se falado que se um resultado positivo não acontecer no próximo sábado, contra o Santos no Engenhão, Ney Franco poderá ser demitido. Penso que se isso realmente se realizar o time carioca estára fazendo uma grande besteira, além de jogar a pré-temporada no lixo.

A manutenção de técnicos durante toda a temporada já se mostrou uma estratégia bem feita, vide o São Paulo nos últimos três anos. Mais importante ainda é manter um treinador do calibre de Ney Franco: ele arrumou um time em pedaços, manteve-se no cargo mesmo com outra propostas e indicou jogadores que cabiam no orçamento no clube, ficando à frente do Fluminense (que gastou milhões) no campeonato carioca.

Pense: quem será contratado caso Ney Franco saia? O Botafogo não tem dinheiro pra tirar nenhum treinador em atividade dos grandes e médios da Série A, Silas do Avaí talvez, mas este recusou uma proposta do Sport recentemente, dizendo querer ficar no time catarinense. Geninho? Nelsinho Baptista? PC Gusmão? O atual treinador é melhor que todos e já provou conseguir fazer o próprio Botafogo reagir no campeonato passado. O Brasileirão só está começando; Michael (ex-Palmeiras, Santos e Dínamo de Kiev) ainda vai estrear, Reinaldo está se recuperando e fala-se na contrataçao de alguns jogadores como Marquinhos (Palmeiras) e Damián Diaz (Boca Juniors). Nenhum deles merece a alcunha de salvador da pátria, mas é bom lembrar que no primeiro semestre o craque do time foi Maicosuel…

Demitir Ney Franco pode deixar o Botafogo numa situação ainda pior, ou como o próprio diria:

Rodrigo Giordano

Apresentação

07/06/2009

Caros,

Iniciamos aqui uma grandissíssima empreitada que esperamos nunca chegar ao fim. Discutiremos sobre as nuances do mundo ludopédico, sempre com muito mau humor.

Aqui você poderá encontrar tudo que a mídia comum não traz sobre o futebol, dando espaço para todas as competições que forem de nossos alcances.

Comentários são sempre bem-vindos, assim como sua presença periódica.

Tocarão isso daqui: Rodrigo Giordano, Caio Hornstein e Felipe Blumen; contando sempre com especiais colaborações.

Abraços