“O placar não condiz com o que foi o jogo”, “tal time não mereceu essa derrota” etc… Você com certeza já ouviu essa expressões quando se quer dizer que certo resultado foi injusto. Bem, as injustiças no Campeonato Inglês desta temporada vêm ocorrendo na mesma proporção que os bons jogos, foram vários. O Arsenal começou impressionando com duas goleadas nas duas primeiras rodadas, porém, o encontro contra o Manchester United quebrou a invencibilidade do time londrino… injustamente. Os Gunners foram melhores o jogo inteiro, mas com um pênalti mal marcado a favor do Manchester e com um gol contra de Diaby o placar foi fechado em 2 a 1 para os Red Devils. Os comandados de Arsene Wenger, porém, não esperavam que o raio caísse no mesmo lugar, e pior, contra outro concorrente ao título: o Manchester City. Os Citizens saíram na frente, no começo do segundo tempo Van Persie empatou e o Arsenal foi para cima, quando se mostrava muito próximo da virada tomou o segundo; ainda vieram mais dois para coroar a atuação de Adebayor contra seu ex-time.

Pois bem, a Premier League 2009/10 reservou para sua sexta rodada o embate entre os rivais sortudos da cidade de Manchester, City x United. O melhor jogo do ano até agora começou equilibrado, com Rooney abrindo o placar aos 2 minutos de jogo e com Barry deixando tudo igual 14 minutos depois; os outros cinco gols da partida ficariam guardados para o segundo tempo. Logo no ínicio da etapa complementar Fletcher fez o primeiro de seus dois gols no jogo, Bellamy não o deixou aproveitar tal deleite empatando logo em seguida. É a partir deste momento que o clássico passa a justificar o tema deste post; com o 2 a 2 no placar o Manchester United decidiu que deveria ser ele o vencendor da partida jogada em seu estádio e partiu para cima do seu arquirrival, salvo pelas brilhantes intervenções do arqueiro irlandês Shay Given, principalmente nas cabeçadas de Berbatov. Eis que então, aos 34 minutos do segundo tempo, o árbitro Martin Atkinson (guarde esse nome) marca falta a favor dos vermelhos, que cobrada pelo melhor jogador da partida Ryan Giggs, chega até a cabeça de Fletcher e daí para o gol.

O jogo era sensacional, a vitória do Manchester United merecedíssima. Todavia, o zagueiro mais caro da história do futebol decidiu entregar um gol de graça ao Manchester City, besteira de Rio Ferdinand muito bem aproveitada por Bellamy. E isso ocorreu exatamente no minuto 45 da parte final do cotejo. Para os apreciadores do futebol jogado pra frente, incredulidade era a palavra do momento; o United não merecia aquilo por tudo que fez na partida, estava pagando por erros crassos individuais. Porém se você seguiu meu conselho e guardou o nome do juiz da partida essa é a hora de relembrá-lo. Martin Atkinson por alguma razão injustificável decidiu adicionar 7 minutos além do tempo regulamentar, sendo que 4 destes não foram sinalizados ao quarto árbitro. O resultado? O empate com sabor de vitória azul se transformou em vitória vermelha. O bom e velho Michael Owen saiu do banco para, aos 50 (!) minutos, marcar um gol histórico.

Mark Hughes, técnico do City, disse que seu time foi roubado. Exagero, esse blog prefere ver o árbitro da partida como um baluarte da justiça futebolística. O United não merecia outro resultado senão a vitória e Martin Atkinson, que julgamos ser um grande apreciador do ludopédio, arriscou-se como um justiceiro. O gol poderia ter sido do City, mas não, Atkinson foi recompensado pelos deuses do futebol. Às favas com o tempo de acréscimo justo; você já sabe, com Martin Atkinson em campo a meritocracia está garantida.

Clique nos links abaixo para ver:

os resultados da Premier League

a classificação

Rodrigo Giordano

Anúncios

O que eles veem

11/09/2009

No programa Bate-Bola da ESPN Brasil, na terça-feira (8), o apresentador João Palomino e os comentaristas Paulo Vinícius Coelho e Mauro Cézar Pereira discutiam sobra a provável lista de convocados da Seleção de Dunga para a Copa do Mundo do ano vindouro; analisaram posição por posição os provavéis nomes que representarão o Brasil na África. Quando a posição de atacante foi colocada em pauta Adriano tornou-se o principal assunto; discutiam se o atacante do Flamengo está com lugar garantido na Copa, PVC acha que há grandes chances, do que não discordo (infelizmente), mas o que realmente me chamou atanção é que o comentarista considerava a convocação de Adriano no lugar de Pato legítima, apesar de não concordar com ela; seu principal argumento era que o atacante está vivendo uma boa fase. Palomino concordou, Mauro Cezar calou-se e eu me assustei, mas o que me faria vir até aqui ocorreu no dia seguinte, em outro programa esportivo vespertino, o Arena SPORTV, em que Cléber Machado discutia com seus convidados exatamente o mesmo assunto já citado acima. Todos concordavam com a convocação de Adriano em razão da fase que ele vive. Ai eu parei.

Restou-me perguntar a mim mesmo que campeonato que aqueles caras estavam assistindo em que o Adriano estava jogando tanto! Tudo bem, ele tem 10 gols no Brasileirão, é vice-artilheiro, mas pra mim isso não quer dizer muita coisa, vide quem está a frente dele nesta briga: os fraquíssimos Jonas, Val Baiano e Roger, e o ótimo Marcelinho Paraíba (apesar de já estar em idade avançada). Quando Cuca era o técnico da equipe rubronegra, Adriano era um poste e só dependia de cruzamentos e pênaltis para fazer gols, com Andrade tem saído mais da área mas até agora não fez uma grande partida pelo time carioca. Dunga, o cara que chegou barrando Ronaldinho Gaúcho e Kaká se entrega à “grife” Adriano e, pior, com conssentimento de parte de nossa imprensa esportiva.

Imprensa esportiva esta que transformou o último Argentina x Brasil em uma partida com ares de final de Copa do Mundo, o que obviamente não era, afinal, o praticamente classificado Brasil ainda teria jogos como Chile, Bolivia e Venezuela para ratificar sua ida à Copa. À mídia esportiva tupiniquim parecia mais interessante inventar uma importância para este jogo, como bem observou o ótimo Leonardo Bertozzi (que também comenta jogos na ESPN) no blog da Trivela.

Não pretendo aqui explicitar como os canais e comentaristas aqui citados são péssimos e não merecem estar onde estão, pelo contrário considero que a ESPN Brasil possui os melhores profissonais do jornalismo esportivo brasileiro, o SPORTV também tem jornalistas muito competentes mas que por razões evidentes (o canal pertence à Globo) não podem dizer exatamente o que pensam. O que critico aqui é a posição destes veículos nos episódios aqui discutidos; os jovens da mídia esportiva brasileira se curvam ao Imperador e dependemos de veteranos como José Trajano, Juca Kfouri, Tostão e Fernando Calazans para servirem como resistência.

Rodrigo Giordano

Calcio à pururuca

01/09/2009

Responda rápido: Em que país os clubes vendem seus craques para saldar dívidas? Os estádios estão obsoletos? O nível técnico do campeonato nacional vem caindo nos últimos anos?

Se respondeu “Brasil”, errou.

Estamos falando da Itália, a bota.

Mas se sofrem destes mesmos problemas que nós, seu campeonato não estará mais disputado também, assim como aqui?

Vejamos.

etooA atual tetracampeã Inter continua favorita mesmo após perder Ibra, o terrível, para o Barcelona. O trio ofensivo formado por Eto’o, Diego Milito e Sneijder tem qualidade, e pode ser o diferencial. A equipe conta ainda com os brasileiros Julio César, Maicon, Lúcio e Thiago Motta e mais um belo elenco.

leonardo-pato-milan-rt

Leonardo vai pagar o pato?

Já no seu rival Milan, parece que o processo de rejuvenescimento foi interrompido no meio. Mesmo com a boa dupla de zaga formada por Nesta e Thiago Silva e o ataque promissor de Pato e Huntelaar, o time sofreu com a saída de Kaká, o santo, e continua refém de jogadores que já cansamos de ver como Gattuso, Pirlo, Ambrosini, Ronaldinho. O inexperiente técnico Leonardo dará conta desse equipe em um momento tão conturbado?

A Roma pasou pela inter-temporada sem contratações expressivas e vendeu Aquilani para o Liverpool, no mais, continua com o mesmo time da temporada passada. Provavelmente não briga mais pelo título, já que depende de um gordo pesado Totti para apresentar um bom futebol. Deve chegar à zona de classificação para a UCL.

A Lazio contratou o argentino Julio, o Cruz , que fará dupla com seu compatriota Zárate no ataque. Este setor não preocupa seu técino Ballardini, mas sim a defesa. O time tentou contratar Miranda e Lugano, porém nada aconteceu. Com um elenco mediano vejamos se chega a algum lugar.

Aliás, os ataques parecem ser os trunfos de alguns times nesta temporada. A Fiorentina conta com Mutu e Gilardino e o Genoa com os hermanos Crespo, Figueroa e Palacio (aquele mesmo, do Boca) para a árdua função de botar a bola na casinha. Isso é tudo que merece ser tomado nota dessas equipes.

Agora, a grande adversária da Inter na disputa pelo título será certamente a Juventus. Foram as contratações certas para as posições certas. Fabio Cannavaro chega para tomar conta da zaga, Felipe Melo é o volante de vibração que a equipe precisava, Grosso, ocupa o lugar de bom lateral que há muito estava vago e a grande contratação da temporada de toda a Itália,

diego

Diego, O Cara do italianão 2009/2010

Diego, o príncipe de Turim, que já mostrou a que veio em apenas duas rodadas. Se Diego for no mínimo regular e as contratações se mostrarem boas como aparentam ser,  a Juve que conta ainda com Buffon, Camoranesi, Amauri e Del Piero pode tornar-se a sensação da Europa na temporada.

Essa é a cara do italianão 2009/2010. Como essa história vai terminar? Não deixe de acompanhar aqui, nessa mesma hora, nesse mesmo canal.

Felipe Blumen