Parece, mas não é

10/11/2009

“O Arsenal é o time mais legal de se ver jogar na atual temporada” disse Arnaldo Ribeiro durante o ‘Sportscenter’ na ESPN Brasil e dizem muitos outros que acompanham o campeonato inglês. Eu entendo, mas discordo. É absolutamente compreensível que se pense isso de um time que fez 36 gols em 11 jogos; resultados como 4 a 1 no Portsmouth, 6 a 2 no Blackburn, 3 a 0 no Tottenham servem para confirmar isso. Mas o principal é a técnica apresentada por seus jogadores de frente, Arshavin, Fábregas e Van Persie, ajudados por Eduardo, Nasri e Rosicky têm feito um campeonato extraordinário, com jogadas que explicam o que é o “futebol bonito”.

Mas lembre-se que eu discordo de que o melhor time para se assistir é o Arsenal, para mim é o Chelsea. Os Blues apresentam uma consistência e equilíbrio impressionantes; o time londrino é forte em todos os setores do campo. Não entenda, porém, que o Chelsea joga feio, que faz um gol e depois administra, não é isso que ocorre. Congratulações a Carlo Ancelotti, o treinador italiano transformou a equipe pragmática de Guus Hiddink em um time vencedor, que ataca sem expor, e uma das principais razões disso foi a contrução do meio-campo feita por Ancelotti. Quando técnico do Milan era tratado com uma certa má vontade pela imprensa brasileira, que o considerava retranqueiro; pois é esse mesmo homem que conseguiu fazer funcionar o trio Ballack, Lampard e Deco. O brasileiro naturalizado português foi um pedido de Luiz Felipe Scolari quando este chegou ao Chelsea e depois de alguns maus resultados o gaúcho considerou que não seria possível utilizar os três jogando juntos, Deco perdeu lugar e logo depois se machucou. Ancelotti logo colocou o ex-meia do Barcelona como titular e principal armador da equipe, que agora possui um meio-campo em forma de losango, com Essien na cabeça-de-área e Lampard e Ballack ajudando tanto na marcação quanto na contrução de jogadas, Deco fica mais a frente. Aliado a isso, a grande fase de Didier Drogba ajuda a explicar por que o Chelsea é o líder do campeonato inglês.

As jogadas vistas na maioria dos jogos do Arsenal são realmente dislumbrantes, mas a beleza do futebol não está só em lances bonitos. Futebol é eficiência, é todo um conjunto de fatores que faz uma equipe vencedora. E o Chelsea tem cara de equipe vencedora, pois ninguém consegue aliar uma defesa forte, um meio-campo talentoso e o melhor centroavante do mundo na atualidade de forma tão coesa quanto o time do sul de Londres. Isso fica explícito nos resultados do Arsenal até agora, as duas derrotas que os Gunners sofreram foram para os dois times de Manchester, exatamente os únicos adversários diretos pela briga do título que o time de Arsene Wenger enfrentou. Ou seja, o Arsenal não consegue ser o mesmo time diante de adversários mais fortes (mesmo que tenha merecido melhor sorte nos dois jogos citados, como dissemos aqui).

Dia 29 de novembro tem início a 14ª rodada do Inglesão 2009/10, Chelsea e Arsenal irão se enfrentar e tudo que foi dito aqui será ratificado, ou não. Não seria essa a verdadeira beleza do futebol?

Rodrigo Giordano

Anúncios

Uma resposta to “Parece, mas não é”


  1. […] à parte, eu avisei: quando todos se impressionavam com o Arsenal, eu vangloriava o Chelsea. Belíssima temporada dos […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: