Dia 8: Os destruidores de bolão

18/06/2010

Primeiramente peço desculpas por não termos postado sobre o dia de ontem na Copa.

Hoje esperava-se que Inglaterra e Alemanha sofressem do mesmo mal que Brasil, Espanha e Argentina: a retranca, porém, não foi isso que vimos. Comecemos pelo primeiro jogo do dia.

As expectativas para o confronto entre Alemanha e Sérvia era grande, afinal, os alemães mostraram o melhor futebol da primeira rodada e os sérvios precisavam da vitória de qualquer maneira. Radomir Antic mudou o esquema sérvio para esta partida, colocando mais um homem no meio campo (Ninkovic no lugar de Pantelic) e liberando Krasic e Jovanovic para se aproximarem mais do grandalhão Zigic. A Alemanha entrou com a mesma equipe que goleou a Austrália e iniciou o jogo do mesmo jeito também, muita movimentação com boa passagem de Lahm pela direita e chegada de Khedira e Schweinsteiger de trás. Os primeiros 20 minutos dos sérvios foram melhores do que a partida inteira que fizeram contra Gana, a defesa estava bem postada e Krasic parecia estar num bom dia. No entanto, o que caminhava para ser um grande jogo foi estragado pelo senhor Alberto Undiano; o árbitro espanhol deu dois cartões amarelos injustos para Klose e, um minuto após os alemães ficarem com um a menos, a Sérvia fez seu gol em bela jogada de Krasic finalizada por Jovanovic. Apesar do baque, a Alemanha não se acuou, pelo contrário, foi pra cima, mas parava no bom sistema defensivo sérvio até que teve um pênalti (outra infração contra a Sérvia por mão na bola e dessa vez mais bizarra, o que foi aquilo, Vidic?) a seu favor, desperdiçado por Podolski. Joachim Low colocou seu time ainda mais pra frente mas não conseguiu o resultado esperado.

O confronto contra uma equipe mais forte e ainda com um a menos deixou algumas fragilidades alemãs expostas: Badstuber não pode ser o lateral-esquerdo da equipe, é muito lento; Müller não é nem ponta nem meia-direita (joga como segundo atacante no Bayern), errou vários cruzamentos hoje; Özil várias vezes “apagou” do jogo. No entanto, não há razão para desespero; os alemães tem ótimos jogadores, muito técnicos e que se movimentam bem, tomou conta do jogo mesmo com um a menos e provavelmente irá se classificar. Quanto à Sérvia, esta mostrou um futebol mais perto do que se esperava dela após a boa campanha nas eliminatórias e ainda por cima proporcionou a primeira derrota da Alemanha em fase de grupos desde 1986, o jogo deveria ter acontecido com 11 contra 11, porém. Mas engana-se você que pensou que esta foi a pior arbitragem da Copa…

Não havia muita expectativa para Eslovênia x Estados Unidos.

O que é que só você viu, professor?

Uma pena. Foi um típico jogo de Copa do Mundo (não desta Copa do Mundo, claro). As equipes estavam espelhadas taticamente (4-4-2 clássico), o que incomodou muito mais os americanos, que acabaram tomando de seu próprio veneno. Todos se lembram que os yankees ganharam da Espanha, abriram vantagem de 2 gols contra o Brasil e empataram com a Inglaterra jogando sem se expor muito, roubando bola no meio-campo e saíndo com muita velocidade, explorando os contra-ataques. Todavia, hoje pudemos ver que os Estados Unidos ficam um pouco perdidos quando têm que tomar o domínio das ações: primeiro tempo 2 a 0 Eslovênia. Sem alternativas, restou aos americanos atacar, e eles o fizeram. Bem. Um golaço de Donovan e uma precisa finalização de Bradley deixaram tudo igual. Os eslovenos pararam e sofreram o terceiro gol, pessimamente anulado pelo auxiliar; não há justificativa nenhuma para a anulação do gol que daria a vitória heróica aos americanos. A pior arbitragem desta Copa arruinou o melhor jogo desta Copa.

Inglaterra x Argélia. Nem parecia que era jogo da segunda fase desta Copa. Horrível. Todos no English Team jogaram mal, Ashley Cole pelo menos tentou. Não seria surpresa nenhuma se a Argélia tivesse feito um gol. O esquema dos argelinos passava longe de ser uma retranca: 4-2-3-1 que constantemente se trasnformava em 3-4-2-1. Bougherra e Ziani fizeram ótimas partidas e o aniversariante Capello já é alvo dos tablóides ingleses, não é para menos, se tem uma palavra que resume a campanha da seleção inglesa nesta Copa é decepção. De novo. Será que quando tem a melhor liga do planeta e a melhor geração desde 1966, os ingleses não conseguirão uma grande campanha em torneios impotantes?

Seleção do dia: Stojkovic; Brecko, Vidic, Bougherra e Belhadj; Bradley, Stankovic, Birsa, Jovanovic e Ziani; Donovan.

Pitacos: Aplausos para Otto Reinhagel (Grécia), Joachim Low (Alemanha) e Bob Bradley (EUA) que colocaram seus fizeram alterações deveras ofensivas devido às circunstâncias que se mostraram em seus respectivos jogos.

Pitacos 2: Essa Copa tá meio fraca em comemorações mas hoje tivemos algumas interessantes, a ida de Jovanovic pra galera no gol que deu a vitória à Sérvia e a dancinha ridícula dos eslovenos.

Rodrigo Giordano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: