Dia 21: tapa no clichê

05/07/2010

“A Alemanha nunca vem com um time muito forte mas sempre acaba chegando”. A declaração, que você já deve ter ouvido umas 28395 vezes, é típica de mitos que circundam a Copa. Mas o problema da sentença não é fazer parte do senso comum, e sim dos jornalistas despreparados que se surpreendem com a técnica dos jogadores alemães; isso numa época em que é possível assistir a todo o campeonato alemão sem sair de casa é algo inconcebível. Quem acompanha a Bundesliga conhece a habilidade de Ozil e não se surpreende nem um pouco com a destreza que Khedira e Schweinsteiger mostram para sair jogando.

Pois bem, Cape Town presenciou um passeio dos alemães em cima dos argentinos; mas será que uma goleada germânica era tão inesperada assim? Acho que não, afinal, a defesa do time de Maradona é muito fraca (Otamendi é bom zagueiro e péssimo lateral, Heinze é péssimo zagueiro e lateral) e o único que marcava no meio-campo era Mascherano. Destarte, dada a eficiência que o time de Joachim Low demonstrou contra os ingleses não foi surpresa alguma o aproveitamento que tiveram contra os sul-americanos. Quem realmente decepcionou foi o ataque argentino: Di Maria foi nulo e o trio de ataque não repetiu as últimas boas atuações.

Os espanhóis tiveram problemas para vencer os paraguaios mas novemente usufruíram do oportunismo de David Villa para decidir a partida. Vão precisar de muito mais para complicar os alemães; o time armado por Vicente Del Bosque tem claras fragilidades como Xavi jogando como meia a frente de Busquets e Xabi Alonso, além da péssima jornada de Fernando Torres que demonstra estar evidentemente fora de sua melhor forma física. Fábregas e Pedro seriam boas opções.

Seleção do dia: Villar; Boateng, Friedrich, Piqué e Lahm; Khedira, Schweinsteiger, Iniesta e Müller; Klose e Villa.

Pitacos: Ricardo Teixeira (!) em entrevista a Galvão Bueno (!!) jogou toda a culpa pela eliminação da Seleção em Dunga. Quem foi mesmo que contratou Dunga?

Palmeiras 3 x 1 XV de Piracicaba. O Palmeiras tem um pênalti a seu favor no amistoso contra o time do interior e Kléber, o maior reforço da equipe para o resto da temporada, bate e… perde. Belluzo deveria começar a pensar em fazer um acordo com a CBF e a comissão de arbritagem, no qual os pênaltis dados para o time de Palestra Itália possam ser torcados por 2 escanteios ou escolher um adversário pra ficar 3 minutos fora, sei lá. Que fase!

Rodrigo Giordano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: