O futebol aconteceu

26/04/2012

“Hoje, o futebol perdeu”. Frase muitíssimo ouvida no dia 25/04/2012, referência à derrota do Barcelona para o Chelsea na semifinal da Champions.

Não, o futebol não perdeu nada. Nem ganhou. Simplesmente aconteceu. O Chelsea não é um time retranqueiro, não vive de chutões nem de gols de bola parada; possui ótimos jogadores, alguns técnicos e habilidosos. Enfim, é melhor do que qualquer um dos 20 times que disputam a 1ª divisão do Campeonato Brasileiro e do que o futuro campeão da Libertadores.

Teve a grandeza de reconhecer sua pequenez diante do melhor time do mundo. Elaborou uma estratégia para dois jogos e a executou brilhantemente; marcou o Barcelona como ninguém com apenas 10 jogadores, sem ser violento (e quando foi, o juiz puniu).

No entanto, há quem ache que Di Matteo devesse entrar com 3 atacantes, ir pra cima, perder de 5 e achar graça.

Deu gosto de ver a raça dos jogadores do time inglês: Lampard não perdeu uma dividida, Ramires correu o campo inteiro, Drogba jogou até de lateral-esquerdo. E o gol do brasileiro foi mais bonito do que qualquer jogada armada por Messi, Xavi, Iniesta e cia.

O Barça continua sendo o melhor time do mundo e essa derrota diz muito sobre o time: a equipe catalã possui um estilo de jogo, que não vai mudar por uma eliminação; todos os times do mundo continuarão tendo que fazer os jogos de suas vidas para vencer o Barcelona. E isso é ótimo pro jogo, o esporte vive disso.

O futebol não perdeu nada ontem. Talvez o de playstation, sim. O de verdade não.

Rodrigo Giordano

“O Arsenal é o time mais legal de se ver jogar na atual temporada” disse Arnaldo Ribeiro durante o ‘Sportscenter’ na ESPN Brasil e dizem muitos outros que acompanham o campeonato inglês. Eu entendo, mas discordo. É absolutamente compreensível que se pense isso de um time que fez 36 gols em 11 jogos; resultados como 4 a 1 no Portsmouth, 6 a 2 no Blackburn, 3 a 0 no Tottenham servem para confirmar isso. Mas o principal é a técnica apresentada por seus jogadores de frente, Arshavin, Fábregas e Van Persie, ajudados por Eduardo, Nasri e Rosicky têm feito um campeonato extraordinário, com jogadas que explicam o que é o “futebol bonito”.

Mas lembre-se que eu discordo de que o melhor time para se assistir é o Arsenal, para mim é o Chelsea. Os Blues apresentam uma consistência e equilíbrio impressionantes; o time londrino é forte em todos os setores do campo. Não entenda, porém, que o Chelsea joga feio, que faz um gol e depois administra, não é isso que ocorre. Congratulações a Carlo Ancelotti, o treinador italiano transformou a equipe pragmática de Guus Hiddink em um time vencedor, que ataca sem expor, e uma das principais razões disso foi a contrução do meio-campo feita por Ancelotti. Quando técnico do Milan era tratado com uma certa má vontade pela imprensa brasileira, que o considerava retranqueiro; pois é esse mesmo homem que conseguiu fazer funcionar o trio Ballack, Lampard e Deco. O brasileiro naturalizado português foi um pedido de Luiz Felipe Scolari quando este chegou ao Chelsea e depois de alguns maus resultados o gaúcho considerou que não seria possível utilizar os três jogando juntos, Deco perdeu lugar e logo depois se machucou. Ancelotti logo colocou o ex-meia do Barcelona como titular e principal armador da equipe, que agora possui um meio-campo em forma de losango, com Essien na cabeça-de-área e Lampard e Ballack ajudando tanto na marcação quanto na contrução de jogadas, Deco fica mais a frente. Aliado a isso, a grande fase de Didier Drogba ajuda a explicar por que o Chelsea é o líder do campeonato inglês.

As jogadas vistas na maioria dos jogos do Arsenal são realmente dislumbrantes, mas a beleza do futebol não está só em lances bonitos. Futebol é eficiência, é todo um conjunto de fatores que faz uma equipe vencedora. E o Chelsea tem cara de equipe vencedora, pois ninguém consegue aliar uma defesa forte, um meio-campo talentoso e o melhor centroavante do mundo na atualidade de forma tão coesa quanto o time do sul de Londres. Isso fica explícito nos resultados do Arsenal até agora, as duas derrotas que os Gunners sofreram foram para os dois times de Manchester, exatamente os únicos adversários diretos pela briga do título que o time de Arsene Wenger enfrentou. Ou seja, o Arsenal não consegue ser o mesmo time diante de adversários mais fortes (mesmo que tenha merecido melhor sorte nos dois jogos citados, como dissemos aqui).

Dia 29 de novembro tem início a 14ª rodada do Inglesão 2009/10, Chelsea e Arsenal irão se enfrentar e tudo que foi dito aqui será ratificado, ou não. Não seria essa a verdadeira beleza do futebol?

Rodrigo Giordano

Rumor has it…

24/06/2009

Tivemos mais que uma semana sem posts; um dos blogueiros não dava notícias há 10 dias, outro foi tomado pela preguiça e o terceiro ficou esperando por eles… Mas estamos de volta.

Ao longo do ano pretendemos dar grande destaque ao futebol internacional. Consideramos que os três campeonatos mais importantes da Europa merecem uma atenção única; ficou decidido então que o Caio falará sobre futebol espanhol, o Felipe sobre futebol italiano e eu sobre futebol inglês. Como as respectivas ligas acabaram há pouco tempo, não resta assunto a não ser as contratações que movem o mercado do futebol nessa época do ano.

Na ilha britânica os negócios andam a passos lentos (é a crise), porém, como é típico dos jornais britânicos, todo dia nos deparamos com inúmeras especulações sobre transferências. Vamos então fazer um apanhado geral do que está acontecendo na Inglaterra.

O Arsenal trouxe Thomas Vermaelen, 23 anos, zagueiro que estava no Ajax; parece que Arsene Wenger vai, como sempre, fazer contratações cirúrgicas e apenas de jovens jogadores. As boas notícias ficam por conta da renovação de contrato de Robin Van Persie e da muito provável permanência de Cesc Fábregas. Continuando em Londres, o Chelsea também não se mexeu muito até agora, de relevante mesmo apenas a contratação do novo técnico Carlo Ancelotti. Daniel Sturridge, 19 anos, atacante do Manchester City está próximo de assinar; Deco e Ricardo Carvalho interessam a Inter de Milão e podem sair. Em Liverpool, as dificuldades financeiras vividas pelo clube não impediram a contratação do lateral-direito Glen Johnson, 24 anos, que veio do Portsmouth e tem se destacado pela seleção inglesa; Mascherano pode estar trocando a terra dos Beatles pela terra de Salvador Dalí, o volante estaria insatisfeito com seu salário e desperta interesse do Barcelona. O Manchester United parece estar acomodado com suas recentes conqusitas e até agora não esboçou reação em relação às saídas de Cristiano Ronaldo e Tevez; existem apenas boatos que ligam o ponta equatoriano Antonio Valencia e o meia-atacante Douglas Costa, do Grêmio, aos diabos vermelhos. Até agora o time mais ativo da temporada é o Manchester City que contratou Garreth Barry, 28 anos, meio-campista que era do Aston Villa e Roque Santa Cruz, atacante de 27 anos que estava no Blackburn; o time de Robinho promete ir atrás de mais reforços para esta temporada. O Hull City anunciou hoje interesse em Michael Owen, atacante que se desligou do Newcastle após o rebaixamento da equipe na temporada passada; será que esse ano as lesões permitirão que ele tenha uma sequencia de jogos?

A Premier League começa no dia 15 de agosto; destaque para o jogo entre Liverpool e Tottenham. Para saber mais, vale a pena visitar o site de esportes da BBC do Reino Unido (ver links).

Rodrigo Giordano